Instituto Brasileiro de Museus

Museus Ibram Goiás

Jogo da Memória do Museu das Bandeiras

Idealizado por Raísa de Sá Cavalcante como resultado de um projeto desenvolvido durante a disciplina de Estágio 2, do curso de Licenciatura em Artes Visuais. Participaram da ação os alunos do 6º ano do Lyceu de Goyaz.

publicado: 12/12/2019 17h50, última modificação: 12/12/2019 17h50

Idealizado por Raísa de Sá Cavalcante como resultado de um projeto desenvolvido durante a disciplina de Estágio 2, do curso de Licenciatura em Artes Visuais. Participaram da ação os alunos do 6º ano do Lyceu de Goyaz.

Segundo Raísa, o objetivo deste trabalho é compartilhar um pouco da experiência com as aulas e os objetos mediadores das visitas aos museus, sendo que um desses objetos foi produzido durante o tempo de estágio. Esse objeto é um Jogo da memória, que trouxe através de suas cartas, imagens de 20 peças que compõem o acervo do Museu das Bandeiras. Esse objeto mediador buscou explorar a cultura visual presente no museu, oferecendo ao participante, uma alfabetização visual que foi contextualizada com a própria visita ao museu, permitindo assim conexões entre tempos, espaços e memórias

As principais referências para a elaboração do projeto de ensino-aprendizagem foram: Ana Mae Barbosa com sua abordagem triangular; Inês Ferreira e o seu conceito de objeto mediador; e o poeta e multi-artista porto-alegrense Alexandre Brito, com o seu livro ‘Museu Desmiolado’.

O projeto teve início com uma aula explicativa e expositiva sobre Museus, onde apresentamos através de slides o seguinte conteúdo: breve histórico dos quatro principais museus da cidade de Goiás (MUBAN, MASBM, Palácio Conde dos Arcos e Casa de Cora Coralina), além de uma apresentação resumida sobre o Museu do Louvre e a Monalisa, o Museu do Futebol, o Museu da Língua Portuguesa e o Museu da Pessoa.

Após a aula teórica, fomos para a prática e visitamos o Museu Casa de Cora Coralina e na semana seguinte o Museu das Bandeiras. Foi na antiga  Casa de Câmara e Cadeia que colocamos em prática a mediação cultural através do objeto mediador que, nesse momento, ultrapassou um simples jogo da memória, onde o objetivo é buscar as imagens correspondentes, e passou a ser um jogo da memória de associação entre imagem e palavra. A dinâmica aconteceu no pátio do museu e contou com a participação de 28 estudantes. O segundo objeto mediador foi o livro ‘Museu Desmiolado’, onde lemos os poemas para os estudantes e solicitamos alguma expressão plástica deles sobre algum museu inventado, possível ou impossível em cada imaginação. O resultado de todo esse processo é incrível e nos leva a acreditar cada vez mais na potencialidade do ser humano e na infinita possibilidade que a imaginação e os museus nos trazem enquanto territórios de relações (im)possíveis.

Entre em contato com o Educativo do Museu das Bandeiras e agende sua visita!
62.33711087 / mdb@museus.gov.br